Saúde

Países que exigem vacina contra febre amarela

|

Um dos assuntos mais falados nas notícias dos últimos dias foi a FEBRE AMARELA. De acordo com a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), trata-se de uma “doença hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados” (pertencentes às espécies Haemogogus e Aedes – sim, ele de novo!). O atual surto em Minas Gerais, com mais de 200 casos suspeitos e 8 mortes, deixou o Brasil e o mundo em alerta. 

separador-polka-dots

MAS O QUE ISSO IMPACTA NA VIDA DO VIAJANTE?

Como muitos países da África, da América Central e da América do Sul (incluindo o Brasil) são endêmicos, um turista vindo desses lugares pode levar a febre amarela para um país livre da doença. Por isso, além de passaporte em dia e visto, muitos destinos exigem que você tenha a vacina contra febre amarela marcada no Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

separador-polka-dots

QUAIS SÃO ESSES PAÍSES?

[AMÉRICA DO SUL]

  • Bolívia
  • Equador
  • Guiana
  • Guiana Francesa
  • Paraguai
  • Suriname 

[AMÉRICA CENTRAL & CARIBE]

Atualização: o Panamá passou a exigir a vacina dos brasileiros. 

[AMÉRICA DO NORTE]

[EUROPA]

[ÁFRICA]

  • TODOS os países (exceto Sudão do Sul). 

[ÁSIA]

[ORIENTE MÉDIO]

  • Afeganistão
  • Arábia Saudita
  • Bahrein 
  • Iêmen
  • Irã
  • Iraque
  • Jordânia
  • Líbano
  • Omã

[OCEANIA]

Verifique aqui as orientações do país de destino (site da Anvisa). 
Veja aqui a lista atualizada no site da OMS. 

separador-polka-dots

Minha dica é: tenha esse certificado GRAMPEADO no final do seu passaporte, e leve para TODAS as suas viagens internacionais, para não correr risco de esquecer (até porque a lista e as exigências podem mudar a cada ano). Confesso que já fui para países da lista acima que nem sequer pediram para ver a vacina. Já alguns outros, como África do Sul, Bahamas, Polinésia Francesa e Tailândia (e outros que não me lembro agora), foram MUITO severos. Checaram no check-in, no embarque e na imigração. E com as notícias “bombando” a respeito de casos de febre amarela no Brasil, aposto que atualmente nenhum brasileiro passará desapercebido.  

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

separador-polka-dots

COMO TIRAR O CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO OU PROFILAXIA (CIVP)?

1. Tomar a vacina, que pode ser obtida gratuitamente em postos de saúde do SUS ou em serviços de vacinação privados credenciados (mediante pagamento). Lembrando que a vacina deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 dias antes da viagem. 

2. Realizar o pré-cadastro no SISPAGRA (www.anvisa.gov.br/viajante > “cadastrar novo”). Isso não é obrigatório, mas agiliza. 

3. Comparecer ao estabelecimento que emitirá o Certificado (normalmente um Centro de Orientação para a Saúde do Viajante / ANVISA). Verifique aqui onde fica o local mais próximo na sua cidade. Atenção! Esses locais não aplicam a vacina. É necessário ir vacinado e com o cartão nacional de vacinação, junto com um documento de identidade original com foto. 

Algumas pessoas não podem tomar a vacina (por qualquer motivo de saúde). Se esse é o seu caso, existe um Certificado de Isenção que você precisa tirar. Saiba mais aqui

separador-polka-dots

A VACINA TEM VALIDADE?

Eu sempre soube que a vacina contra febre amarela durava 10 anos. Então ficava de olho em sua validade da mesma forma que fico de olho na validade do passaporte e do visto americano. Mas desde 11 de julho de 2016 essa regulamentação mudou e a OMS determinou que o reforço da vacina a cada 10 anos não é mais necessário (dá um medinho, né?!). 

Uma pessoa que se vacina atualmente, sai com o Certificado escrito “validade desde dd/mm/aaaa até LIFE” e quem já está vacinado há bastante tempo e tem uma validade X sinalizada, vai poder viajar com ela “vencida”.

Pode confirmar na Regulamentação Internacional de Saúde da OMS! É verdade. A ANVISA até traduziu: “Dessa forma, a partir de 11 de julho de 2016, tanto para os certificados existentes quanto para os novos, a revacinação ou uma dose de reforço da vacina contra febre amarela não pode ser exigida de viajantes internacionais, como condição de entrada em um Estado Parte, independentemente da data em que o certificado internacional de vacinação foi inicialmente emitido.” (leia mais aqui). 

A minha “vence” em 2018, portanto ainda não viajei com a vacina contra febre amarela “vencida” no CIVP. Não sei dizer se dá alguma confusão na chegada (não deveria, afinal é uma regulamentação global). De qualquer maneira, se não conseguir um certificado com a validade “LIFE”, vou viajar com a resolução da Organização Mundial da Saúde impressa! 😀 Clique aqui para acessá-la. 

Alguém aí já viajou dessa forma?? Pode nos contar como foi nos comentários abaixo???

separador-polka-dots

CURIOSIDADES & SINTOMAS (fique alerta!):
[o texto abaixo foi retirado do site da FIOCRUZ – acesse aqui]

. A doença tem esse nome pois se refere à tonalidade da pele que afeta alguns doentes. 

. Os sintomas da febre amarela incluem febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

. Uma pequena porcentagem de doentes que contraem o vírus revelam sintomas graves e cerca de metade deles morrem no prazo de 7 a 10 dias. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

. A febre amarela é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão — a diferença está apenas nos transmissores. Em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue e da zika). A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Além do homem, a infecção pelo vírus também pode acometer outros vertebrados. Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra.

separador-polka-dots

ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL

Falando de doença e de viagem, não podemos nos esquecer de fazer um bom seguro de saúde válido no exterior. Sempre fecho o meu pela REAL Seguros, que compara preços de diversas seguradoras. Já precisei usar uma vez, e, ufa, deu tudo certo. Clique aqui para fazer uma cotação. Após compra online, a apólice chega por email em minutos.

Obs.: Quando você reserva seu seguro por este link, eu ganho uma pequena comissão, que ajuda a manter o blog sempre atualizado (e você não paga nada a mais por isso). 

separador-polka-dots

Para mais informações a respeito da febre amarela, vacinas e Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, acesse: Organização Mundial da Saúde (OMS), Fiocruz e Anvisa

Boas viagens e muita saúde para todos nós! 🙂
Beijos, Lala Rebelo
(siga também meu instagram @lalarebelo e curta minha página no facebook!)

Post relacionado:

Comentários