América do Sul

Viña Vik – fabuloso hotel-vinícola no Chile

Millahue

A Viña Vik é mais do que um hotel e mais do que uma vinícola. É uma propriedade que te envolve em todos os sentidos. A começar por seu projeto: uma construção futurista no alto de uma colina. Um dos destaques é o teto de titânio em curvas, que fica dourado durante o dia (remetendo ao nome do vale em que está localizada, Millahue, que significa “lugar de ouro”). E dentro dessa construção, esculturas, mobiliário exclusivo, entre outras obras de arte, preenchem o espaço. Tudo idealizado pelos proprietários, Alexander e Carrie Vik, em associação com o arquiteto uruguaio Marcelo Daglio. A área total da propriedade é de 4.325 hectares, espaço coberto por vinhedos que produzem as uvas que serão usadas no icônico VIK Wine.

Hotel Viña Vik e seu teto de titânio | foto: Lala Rebelo
Living Viña Vik, que funciona também como recepção aos hóspedes | foto: Lala Rebelo
Living – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Terraço com vista para os vinhedos da Viña Vik | foto: Lala Rebelo

O hotel foi inaugurado em outubro de 2014 e está localizado a apenas 2 horas ao sul de Santiago (menos de 200km). Fica próximo ao conhecido Vale do Colchagua. Para chegar, basta alugar um carro e percorrer o caminho acompanhado da Cordilheira dos Andes. Lindo, lindo! Mas também é possível contratar um transfer com o hotel.

São 22 suítes no total mas, à parte dos janelões de vidro que vão do chão ao teto, da vista dos vinhedos e dos metais do banheiro em formato de gota (da marca italiana Gessi), todas são completamente diferentes uma das outras (completamente mesmo!). Cada uma é assinada por um artista (chileno, em sua maioria) que a decorou de acordo com o tema que a nomeia (nada de quartos numerados).

As master suítes ficam nas esquinas do edifício e são maiores. Os destaques ficam com a Suíte Vik, que tem uma banheira estilosíssima em estilo “hammock” da Splinter Works, e com a Suíte Fornasetti, que presta homenagem ao designer de mesmo nome, com móveis super originais.

Master Suíte VIK – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Banheiro da Master Suíte VIK – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Master Suíte Fornasetti – Viña Vik | foto: Lala Rebelo

As suítes comuns (que de “comuns” não tem nada) também são lindas e espaçosas. Hospedei-me na “Valenzuela”, contemporânea e ultra colorida, com piso fazendo referência a Mondrian. O sofá em formato de beijo virou o meu queridinho (quero um igual na minha casa! rs). Conheci várias outras suítes e as mais lindas eram: Redondo (predominância de azul e branco, com detalhes de bolinhas coloridas) e Chile (com vários elementos do país, como móveis feitos de madeira de cactus).

Meu quarto no Viña Vik – Suíte Velenzuela | foto: Lala Rebelo
Lindo sofá de beijo da Suíte Velenzuela | foto: Lala Rebelo
Banheiro da Suíte Velenzuela | foto: Lala Rebelo
Suíte Chile – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Banheira da Suíte Príncipe Hubertus – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Suíte Redondo – Viña Vik | foto: Lala Rebelo

Claro que o hóspede pode mencionar a suíte que prefere ficar, mas o legal é a supresa. Amenities de marca própria, Vik, feitos de vinho. Os quartos contam com roupões, pantufas, secador de cabelo, mini bar e cofre.

Amenities – vinho é o principal ingrediente – Viña Vik | foto: Lala Rebelo

A cabaña, que foi a primeira estrutura de “hotel” construída pelos donos no local, também está disponível para hospedar grupos (são 4 quartos). Rústica, bem mais simples do que o edifício principal, porém muito aconchegante.

Cabaña com 4 quartos – Viña Vik | foto: Lala Rebelo

O hotel conta com uma linda piscina de borda infinita de granito com vista para os vinhedos e para o lago (o volume de água desse lago muda muito conforme a estação – quando fui, estava quase seco). Mas, infelizmente, a piscina não é aquecida. Se visitar o hotel no verão, com certeza, você irá aproveitá-la muito!! A noite, luzes de LED instaladas no fundo da piscina formam as constelações do hemisfério sul.

Belíssima piscina da Viña Vik, Chile | foto: Lala Rebelo
Vista para os vinhedos e, em outra época, para o lago | foto: Alessandra Leite – Hotelnews

Há também um spa (destaque para as terapias que utilizam vinho), sauna, sala de jogos (com tênis de mesa, jogos de tabuleiro, xadrez e televisão – não há nos quartos), sala de yoga e academia bem equipada (e com vista). O restaurante Milla Milla está aberto para almoço e jantar (mas há um outro restaurante na vinícola). É lá também que é servido o café da manhã. Falarei mais da gastronomia abaixo.

Uma das salas de tratamento do Spa da Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Sala de descanso do Spa da Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Academia – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Sala de jogos – Viña Vik | foto: Lala Rebelo

Cozinha fresca, local, sazonal e limpa. É assim que o Chef Rodrigo Acuña Bravo resume o que faz no comando dos restaurantes da Viña Vik, Milla Milla (dentro do hotel) e Pavilion Café (na vinícola). O menu muda duas vezes ao dia (almoço e jantar) e todos os ingredientes vem de pequenos produtores locais e da própria horta do hotel, que já é responsável por 30% do que é consumido na propriedade (a ideia é ser 100% auto-suficiente em breve). Sabores chilenos, que privilegiam as carnes e os peixes frescos do Pacífico, realçados pelo elegante vinho VIK.

O café da manhã é simples, com poucas opções de pratos quentes. Já o almoço e o jantar são impecáveis! Em um dos dias, pude vivenciar um farm-to-table lunch descontraído que acontece na horta, em uma grande mesa compartilhada com outros hóspedes. Que delícia! Carnes, pães, vegetais… Tudo preparado na parrilla, ali, na nossa frente. O jantar é mais formal e consiste em um menu de 4 tempos.

Todas as refeições, acompanhadas dos vinhos da casa, VIK, La Piu Belle e Milla Cala, estão incluídas no valor das diárias.

Prato do jantar no Milla Milla – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Deliciosa torta de maçã no almoço no Milla Milla – Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Restaurante Milla Milla, no hotel Viña VIK | foto: divulgação
Almoço farm-to-table na horta da Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Carnes na parrilla no almoço na horta da Viña Vik | foto: Lala Rebelo
Flan de leite com calda de laranja e morango – almoço na horta | foto: Lala Rebelo

Uma nave espacial parcialmente enterrada nos vinhedos. É assim que posso resumir a arquitetura da Vinícola VIK, desenhada por Slamij Radic e Loreto Lyon. Na entrada, encontramos um gigantesco espelho d’água, mas não pense que a água foi colocada ali por pura estética. Tudo é muito funcional, pois a água serve para esfriar e refrigerar o salão de barricas que fica bem embaixo. Todo o interior da vinícola, onde o vinho é produzido, é clean e moderno. O teto é feito de uma membrana translúcida que deixa luz natural entrar, sendo assim, não se utiliza nenhuma luz artificial durante o dia.

Vinícola Viña VIK – projeto futurista | foto: divulgação
O espelho d’água serve como refrigeração natural para as barricas que estão embaixo | foto: Lala Rebelo
O teto que permite a entrada de luz natural | foto: Lala Rebelo
Interior da Vinícola Viña VIK | foto: Lala Rebelo
Barricas de carvalho francês – Viña VIK | foto: Lala Rebelo

Apesar desse post ter foco no hotel, não posso deixar de falar com carinho da vinícola, afinal, foi por ela que tudo começou e é por ela que tudo existe. O casal de noruegueses, Alexander & Carrie Vik (ele, de pai uruguaio), movido pela determinação de criar o melhor vinho da América do Sul, rodou por diversas terras do continente, junto a geólogos, climatologistas e enólogos, até encontrar o lugar perfeito. E então, em 2006, compraram a área no Valle de Millahue (onde antes não havia nada), no Chile, que é hoje a Viña VIK. Uma região com 6 diferentes micro-climas, 12 micro-vales, terras úmidas em algumas partes, secas em outras. O terroir ideal para a produção de um vinho único pelo método holístico. Mas o que é método holístico? O equilíbrio de homem, terra, natureza, clima e tecnologia, expressado em um TODO.

Vinhedo da Viña VIK | foto: Lala Rebelo

O mais incrível é que “VIK” não é uma “marca” para vinhos de diversas uvas. Ele é UM único vinho, um blend de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Carménère, Syrah e Merlot, que resulta no Vinho VIK. Custa cerca de US$150. A mesma vinícola produz também o recém-lançado La Piu Bella e Milla Cala, que também são blends dessas mesmas uvas, mas custam menos.

Os vinhos da casa: La Piu Belle, VIK e Milla Cala | foto: Lala Rebelo

A degustação na Viña VIK é diferente da que estamos acostumados. Provamos 3 dos vinhos que irão compor o VIK, para então, no final, degustar o VIK. Os tipos de tours/degustação variam e custam de US$35 a US$60 por pessoa. Reserve seu tour e seu almoço na vinícola (Pavilion Café) por email tours@vik.cl.

Sala de degustação da Viña VIK | foto: Lala Rebelo
Pavilion Café na Vinícola VIK | foto: Lala Rebelo
Lounge do Pavilion Café | foto: Lala Rebelo

Seus dias na Viña VIK serão dedicados, claro, aos VINHOS da vinícola. Além das degustações e dos tours guiados, você pode explorar os vinhedos a pé, de bicicleta ou a cavalo (atividades oferecidas gratuitamente aos hóspedes). Aliás, o cuidador dos cavalos, um senhorzinho bem característico do interior do Chile, chamado Seu Nano, é um personagem a parte.

Atividades especiais como aula de culinária, colheita das uvas (março-abril), piqueniques/churrascos no vinhedo, degustação de vinhos & chocolates, entre outras, podem ser solicitadas ao hotel (custos extras). Essa degustação de vinhos & chocolates (maridaje), que pode ser realizada na cabaña, é imperdível. Muito interessante entender (e comprovar) que a bebida e o doce podem ficar maravilhosos juntos.

Cavalos da viña para passear pelos vinhedos | foto: Lala Rebelo
Seu Nano | foto: Lala Rebelo
Vinhas de Carménère – Viña Vik | foto: Neiva Schneider – Revista Gente Que Faz
De bicicleta pela vinícola | foto: Marina Valle – Press Pod

O hotel conta com um Experience Concierge Team para organizar todas as atividades para os hóspedes. Como a Viña Vik está bem pertinho do Valle do Colchagua, também é possível organizar tours até o local (e quem desejar, pode visitar outras vinícolas da área).

A arquitetura, tanto do hotel como da vinícola, futurista, cria uma sensação UAU. Achei as duas construções lindas e surpreendentes. O fato dos quartos serem todos completamente diferentes também tornam a experiência mais especial. Dá vontade de conhecer todos! Ou ir mil vezes e ficar cada vez em um. Também amei, claro, o Vinho VIK, que é único (óbvio que trouxe um para casa!).

Espetacular arquitetura do hotel Viña Vik | foto: Lala Rebelo

::: Reserve aqui sua estadia na Viña VIK.

Todas as refeições, acompanhadas dos vinhos da Viña VIK, assim como algumas atividades, estão incluídas no valor das diárias.

Por Lala Rebelo
(acompanhe minhas viagens ao vivo pelo instagram @lalarebelo)

***
Se gostou da Viña VIK, acho que também vai gostar de:

Comentários