MULHERES QUE VIAJAM SOZINHA LALA REBELO

Dicas para mulheres que viajam sozinhas

O bom de viajar sozinha :)
|

Texto publicado aqui no blog em 06/03/2017 e em 18/03/2017.

É inegável que já conquistamos muitas coisas e atuamos na sociedade de uma maneira mais independente e empoderada. Mas, por ainda vivermos em um mundo machista, o debate sobre a segurança de mulheres que viajam sozinhas está sempre aceso.

Existe lugar seguro? Viajo sozinha desde que tinha 15 anos de idade e acredito que, infelizmente, não há. Em pleno século XXI, continuamos à mercê daqueles que acham que podem fazer o que quiserem com as mulheres, principalmente em um lugar não familiar para nós. E isso pode ocorrer em qualquer país, do mais rico ao mais pobre, do mais diferente culturalmente ao mais similar.

Já tive a infelicidade de ter sido cercada por 6 homens em um trem na França em 2009 só porque estava sozinha no último vagão. Por “sorte” (ou porque simplesmente não era o meu dia) fui livrada de algo extremo, mas pensar no que poderia ter acontecido me estremece até hoje. Quando consegui fugir do trem, chorei rios, e minha sede de explorar o mundo poderia ter ido embora com as lágrimas, mas não foi.

E nem por isso deixei de viajar desacompanhada. Apoio e incentivo que mulheres rodem o mundo sozinhas ou apenas com suas amigas. Mas é claro que é preciso tomar certos cuidados (ou melhor, muitos cuidados, lamentavelmente). O ideal seria conseguir mudar a atitude dos homens mal-intencionados que cruzam nosso caminho, mas enquanto não temos esse poder, nos proteger é sempre a melhor saída.

Se você também adora rodar por aí sozinha (ou só com mulheres), confira alguns conselhos que aprendi ao longo das minhas viagens por mais de 60 países:

  • Planeje muito a viagem e pesquise BEM hotéis e albergues (principalmente sua localização). Tente achar comentários de quem já foi (amigos e blogs confiáveis). Eu também leio os reviews de sites como TripAdvisor e booking.com e sempre deu tudo muito certo!
  • Se tiver o intuito de conhecer gente, procure opções de hospedagem mais jovens, que tenham um bar, por exemplo;
  • Tenha sempre um mapa em mãos e uma ideia bem definida do que planeja fazer na viagem, e antes de aceitar qualquer sugestão de programação, pesquise para saber do que se trata;
  • Procure passeios/tours que NÃO sejam privados (para estar rodeada de outros turistas – o que é mais seguro e também favorece a socialização);
  • Evite estar em parques e ruas desertas a noite;
  • Conheceu gente nova? Por mais legais que eles pareçam, opte por encontros apenas em lugares públicos, com mais gente ao redor;
  • Leve vários tipos de meio de pagamento (cartão de crédito, dinheiro vivo, cartão de viagem pré-pago etc.) distribuídos em diferentes “esconderijos” (um pouco na carteira, um pouco na mala e algo na famosa pochete interna chamada de “porta-dólar”. Muita gente acha um exagero utilizá-la, mas é importante. Eu utilizo sempre e já me salvou em imprevistos!);
  • Se for roubada e perder tudo, não precisa pedir emprestado a estranhos ou pedir favor para se hospedar de graça em algum lugar. Existem empresas de envio de dinheiro em minutos espalhadas ao redor do mundo e você pode pedir para que alguém da sua família envie a quantia a você;
  • Essa é básica: não aceite bebida de estranhos (por mais legal que o “estranho” pareça);
  • Tenha cópia dos seus documentos e reservas no e-mail (vale pra todo mundo, homens e mulheres);
  • Antes de partir, deixe seus familiares ou amigos cientes do seu itinerário (e os informe de qualquer mudança);
  • Respeite a cultura local;
  • Tente se vestir conforme os costumes do lugar. Pesquise como as mulheres se vestem em determinado país para se vestir de acordo, e assim não ofender ninguém. Por mais que você possa não concordar com burcas, véus, saiões, lenços e afins, cultura é cultura e você precisa respeitar.

Por que você deveria viajar sozinha? Para se sentir mais independente, mais forte e invulnerável. Não que você precise estar viajando para se sentir dessa forma (faz um bem enorme ser poderosa e segura de si o tempo todo), mas não vamos negar que ser forte admirando o Taj Mahal, fazendo um safári pela África, conhecendo templos na Tailândia, tomando um drink em Paris ou descansando em uma praia caribenha é, sem dúvidas, fantástico.

***

E para quem quiser conhecer minhas maravilhosas experiências em Paris (uma das minhas cidades preferidas do mundo), clique AQUI.

mulheres que viajam sozinhas lala rebelo paris
Eu em Paris em 2014 – Louvre
mulheres que viajam sozinhas lala rebelo paris
Eu em Paris em 2009, quando morei 6 meses na cidade ♥ – Torre Eiffel

Esse texto também foi publicado no Catraca Livre em 07/03/2017.

Comentários