Hotel Review

Mukul Resort – luxo e autenticidade na Nicarágua

Tão bom estar hospedada em um hotel que faz você se sentir de fato no destino para o qual viajou, né?! Claro que é uma questão de gosto, mas eu amo propriedades que estão conectadas ao seu entorno. Aquelas que se inspiram na arquitetura tradicional, que trazem elementos da cultura local e que convivem harmonicamente com as comunidades que as rodeiam (e não só convivem, como também apoiam de verdade). Esse é o caso do Mukul Resort Beach, Golf & Spa, que, além de ser o hotel mais luxuoso da Nicarágua (e que a colocou no mapa do turismo high-end), é super autêntico. Tudo ali é “NICA”.

Palapa principal (lobby) do Mukul Resort – Nicarágua | foto: divulgação

O Mukul abriu suas portas em 2013, como a realização do sonho de Don Carlos Pellas, empresário nicaraguense dono de outros negócios no país, como o icônico rum Flor de Caña. O hotel está em uma área chamada Costa Esmeralda, a 2 horas e meia de carro da capital, Manágua, onde fica o aeroporto internacional. Aliás, esse caminho é muito agradável, pois passa por várias cidadezinhas rústicas. Para os que preferem evitar a parte da estrada, há um aeroporto a 15 minutos do hotel (construído pelo próprio Mukul), que recebe vôos domésticos (cia aérea La Costeña) e particulares.

Localização do Mukul no mapa da Nicarágua | base: Google Maps

Essa região de Costa Esmeralda é linda. Tem beleza selvagem, com vegetação nativa e litoral recortado. Só o hotel conta com 6km de praias particulares banhadas pelo Oceano Pacífico, entre calminhas e ideais para o surf. A localização do hotel também permite day tours para vários pontos turísticos do país, como a cidade colonial de Granada, o vilarejo de San Juan del Sur, o Lago Nicarágua, os vulcões Masaya e Mombacho, entre outros. Saiba mais aqui no post de dicas gerais do destino.

Vista aérea do Mukul Resort (Guacalito de La Isla) | foto: divulgação
Playa Manzanillo, em frente ao Mukul Resort | foto: Lala Rebelo

O projeto do Mukul, assinado pelo arquiteto e designer de interiores texano, Paul Duesing, é como ter colocado a essência da Nicarágua dentro de um resort. Ele passou um ano e meio no país apenas aprendendo como transformar hábitos, artesanato e habilidades da população em uma construção de alto padrão e em um design ímpar. E é por isso que você vai encontrar no hotel diversas cadeiras de balanço (amadas pelos nicaraguenses), luminárias de palha e corda, azulejos coloridos fabricados na cidade colonial de Granada, troncos de madeira derrubados por um terremoto em 92 e que hoje sustentam a enorme palapa principal, entre outros detalhes.

Lindas luminárias no lobby do Mukul | foto: Lala Rebelo
Azulejos nicaraguenses produzidos em Granada revestindo áreas do hotel | foto: Lala Rebelo
Palapa gigante sustentada por enormes troncos | foto: Lala Rebelo

Mas quando disse no início do texto que o o Mukul é “NICA” de verdade, quis ir além da arquitetura e da decoração. 90% de seus funcionários são nicaraguenses. Gente treinada pelo próprio hotel para oferecer um serviço de altíssima qualidade (e oferece!). Isso demonstra o enorme valor que a família Pellas dá às comunidades locais.

Funcionária gentil do Spa do Mukul | foto: Lala Rebelo

O nome “Mukul” não foi escolhido por acaso e, remetendo ao fato de ser uma verdadeira jóia escondida na América Central, a palavra significa “segredo” em tsotsil, um antigo idioma Maia (segredo esse que vou revelar no post! Afinal, vocês precisam conhecer esse hotel! rs). Um hotel-membro VIRTUOSO, que faz parte da coleção “Preferred Hotels & Resorts – LEGEND”.

Além dos 6km de praias particulares (destaco a Playa Manzanillo para o surf e a Guacalito para quem gosta de mais tranquilidade), que contam com palapas e espreguiçadeiras, o hotel possui duas piscinas lindas na área comum, restaurantes, bares, campo de golf de 18 buracos oficial da PGA, assinado pelo arquiteto escocês David MacLay, Kids Club (um dos mais legais que já vi! Tem até piscina exclusiva para as crianças), Beach Club, escola de surf (a australiana TropicSurf), quilômetros de trilhas para trekking ou mountain bike (o hotel disponibiliza bicicletas para os hóspedes), academia, aulas de yoga, concierge, barcos para pescaria e passeios na região e um fabuloso SPA, do qual vou falar em detalhes abaixo. Carrinhos de golf transportam os hóspedes dentro da área da propriedade, que tem 675 hectares.

Vista aérea do Mukul Beach Golf & Spa, na Nicarágua | foto: divulgação
Pôr do sol na Playa Manzanillo – praia principal do Mukul | foto: Lala Rebelo
Playa Guacalito, também na área do Mukul – super tranquila! | foto: Lala Rebelo
Piscina principal do Mukul Resort | foto: Lala Rebelo

Academia do Mukul Resort | foto: divulgação
Aula de yoga no Mukul Resort | foto: divulgação
Campo de golf do Mukul Resort | foto: divulgação
Piscina do Kids Club do Mukul Resort | foto: Lala Rebelo

O Spa do Mukul é tão incrível que mereceu um tópico só para ele aqui no post. Viajo muito e já me hospedei em muitos hotéis de luxo ao redor do mundo, mas nunca vi nada parecido com esse Spa antes. No lugar de salinhas de tratamento, 6 TEMPLOS com temáticas diferentes e terapias relacionadas a esses temas.

Por exemplo, no Templo Ancestral, os tratamentos utilizam ingredientes locais, como argila vulcânica, plantas, ervas, açúcar e sal marinho, com base nas técnicas dos povos nativos da Nicarágua. Na Healing Hut (cabana curativa), que é um templo com decoração asiática, os tratamentos vão de thai massage a rituais ayurvédicos. No Templo Rainforest, prevalece a hidroterapia, destacando os chuveiros Vichy. TODOS os templos contam com área externa com piscina. Conheça mais dos templos e dos tratamentos aqui.

Ancient Sanctuary – Mukul Spa | foto: Lala Rebelo
The Rainforest Temple – Spa do Mukul Resort | foto: divulgação
Terapia em andamento na asiática Healing Hut – Spa do Mukul Resort | foto: divulgação
Área externa do Crystal Temple – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo

Ao mencionar uma infraestrutura tão completa, provavelmente você já imaginou um resort gigantesco, para um montão de hóspedes. Que nada! O Mukul é muito exclusivo e possui apenas 37 SUÍTES. Todas as acomodações contam com piscina privativa.

  • Beach Villas – São 12 delas, que vão de 46m2 a 80m2 e podem ter um ou dois quartos (a de dois quartos tem cozinha). Super espaçosas e rústicas, mas adorei o toque contemporâneo do banheiro. Algumas estão de frente para o mar e têm também uma vista linda. O destaque fica para a área externa, que conta com jardins, uma palapa, sofás, rede para aquele descanso e até uma ducha externa.
Piscina privativa da Beach Villa – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
Interior da villa no Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
Pia com vista na villa do Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
E a segunda pia, com espelho + walk-in closet | Beach villa do Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
Banheiro da beach villa no Mukul Resort – contemporâneo | foto: Lala Rebelo
Minha villa no Mukul Resort – Nicarágua | foto: Lala Rebelo
  • Bohios – São como casas na árvore (e que casas! Com 58m2 cada), no alto da colina, perfeitos para quem valoriza uma bela vista do mar. Construídos com madeira reciclada, com janelões de vidro. São 23 Bohios no total.
Acomodação tipo Bohio – Mukul Resort | foto: divulgação
Piscina privativa dos Bohios | foto: Lala Rebelo
Terraço dos Bohios – Mukul Resort | foto: divulgação
Interior dos Bohios – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
  • Casona Don Carlos – É a acomodação particular da família Pellas, disponível aos hóspedes quando os donos não estão na propriedade, e considerada a jóia do Mukul. São aproximadamente 2 mil metros quadrados (4 suítes divididas em duas casas). Os destaques são a piscina de borda infinita e a sala principal (living), que é uma gigantesca palapa, com pé direito que ultrapassa os 24 metros.
Casona Don Carlos – Mukul Resort | foto: divulgação
Interior da Casona Don Carlos – Mukul Resort | foto: divulgação
  • Suite Doña Vivian – É também particular, dos Pellas, mas aberta à reserva quando não estão utilizando. São 3 andares (720m2) com dois quartos, tudo com vistas do Oceano, devido aos janelões de vidro. Tem também uma linda piscina. Pode ser alugada junto com a vizinha Casona Don Carlos, para assim criar uma acomodação gigantesca, com 6 quartos e 2 piscinas.
Exterior da Suite Doña Vivian – Mukul Resort | foto: divulgação
Interior da Suite Doña Vivian – Mukul Resort | foto: divulgação
Lindo banheiro e super vista da Suite Doña Vivian – Mukul Resort | foto: divulgação

Todos os quartos contam com amenities Molton Brown, roupões macios, chinelos, secador forte (nem precisa levar o seu na mala), bebidas, máquina de café espresso, quitutes nicaraguenses e serviço de turndown. Aliás, quando o hóspede volta do jantar, encontra sobre sua cama uma lembrança fofa em cerâmica, bem típica da Nicarágua, para levar pra casa.

Outro mimo é o “pre-breakfast”, com café, leite, chá e biscoitos, servido na área externa (beach villa) ou no terraço (bohio), para quando você acordar já ter algo para o desjejum.

O resort conta com dois restaurantes na área principal (La Terraza e La Mesa), um bar na Playa Manzanillo e um restaurante no Beach Club (Tres Ceibas).

  • La Terraza – É o restaurante principal, aberto no café da manhã, almoço e jantar, inclusive para não-hóspedes. Espaço agradável e informal. No menu, pratos variados, mas tudo com um toque muito “nica”, preparados com ingredientes locais, como peixes trazidos pelos pescadores dos vilarejos vizinhos e carne bovina orgânica nicaraguense. A lasanha de beringela e a carne com crosta de chorizo estavam divinas!
Restaurante La Terraza – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
  • La Mesa – O  restaurante mais formal e elegante do Mukul. Aberto apenas no jantar, mediante reserva, apresenta um menu degustação harmonizado com vinhos, com 5, 6 ou 7 pratos. O ambiente é acolhedor e te faz sentir na sala de jantar de uma casa de família tradicional nicaraguense, com pisos de azulejos originais de Granada, lustres de cordas e fotografias da família Pellas.
Restaurante La Mesa – Mukul Resort | foto: divulgação
  • Tres Ceibas (Beach Club) – Na mesma praia do Mukul Resort, Manzanillo, está o beach club onde fica o Tres Ceibas. O menu é composto por pratos menos sofisticados, como pizzas (deliciosas!!), burgers e ceviches. O nome “Ceiba” não foi escolhido por acaso. O bar/restaurante, em formato circular, está construído em volta de uma enorme árvore Ceiba (paineira).
Restaurante Tres Ceibas no Beach Club do Mukul Resort | foto: divulgação
Interior do Restaurante Tres Ceibas, no beach club do Mukul | foto: Lala Rebelo

Às quintas-feiras acontece na praia, junto ao bar, o Nica Luau, com luzinhas, velas, fogueira, música ao vivo e, para comer, carnes e vegetais grelhados. Uma delícia!

Tudo pronto para o Nica Lual – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
Luau no Mukul Resort – fogueira acesa! | foto: Lala Rebelo

O hotel também pode organizar um piquenique na Playa Guacalito (praia que não fica em frente à estrutura do hotel).

Piquenique na Playa Guacalito – Mukul Resort | foto: divulgação

  • Praias e Surf

Entre as atividades oferecidas pelo próprio hotel (piscinas, golf, academia, yoga, bicicletas, hike, tênis, stand-up paddle, caiaque, snorkel, Spa – ah, o Spa!), recomendo muito fazer uma aula de surf com a escola TropicSurf, que fica no próprio Mukul (US$165/hora aula). Eles são super profissionais. A Nicarágua é conhecida mundialmente por suas ondas, e a Playa Manzanillo, onde está o resort, é ideal tanto para profissionais como para iniciantes. Já a Playa Guacalito (também dentro da área do Mukul), é muito mais tranquila.

Devido à localização do hotel, no sul da costa pacífica, é muito fácil também chegar a outras praias famosas entre os surfistas, como Playa Maderas e Playa Popoyo.

Aula de surf na Playa Manzanillo, do Mukul Resort | foto: divulgação
Professor Alex da TropicSurf, no Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
Playa Guacalito – Mukul Resort | foto: Lala Rebelo
  • Cidades e vilarejos 

Em menos de duas horas de carro, é possível chegar na cidade colonial de Granada, que é a primeira cidade “européia” construída no Novo Mundo. Linda! Cheia de edifícios históricos e restaurantinhos com mesas na calçada.

Catedral de Granada – Nicarágua | foto: Lala Rebelo
Granada e sua simpatia! | foto: Lala Rebelo

O colorido vilarejo de San Juan Del Sur é praticamente vizinho do Mukul, e é possível chegar tanto de carro (60km) como de barco. Não deixe de subir no Cristo de La Misericórdia para ter uma vista linda.

Chegando de barco no vilarejo de San Juan del Sur – Nicarágua | foto: Lala Rebelo
Vista do mirante do Cristo de La Misericórdia, em San Juan del Sur, Nicarágua | foto: Lala Rebelo
  • Vulcões 

“O país dos lagos e dos vulcões” – é essa a frase que define a Nicarágua. Então claro que você deve conhecer algum dos 19 vulcões nicaraguenses na sua viagem. Recomendo o Vulcão Masaya, ao qual se chega – de carro – tão perto a ponto de ver a lava e muita fumaça, e o Vulcão Mombacho, pertinho de Granada, onde é possível fazer trilhas e tirolesa.

Também é possível ir ao Vulcão Cerro Negro, mas como fica bem mais distante (230km), o hotel pode organizar um passeio de helicóptero para facilitar. Esse vulcão é famoso para praticar sandboard.

Vulcão Masaya de dia (dá para ir a noite também). Chega-se MUITO perto (e de carro)! | foto: Lala Rebelo
  • Passeios de barco 

O hotel tem um barco chamado “Spirit of Mukul” que pode ser usado para diversos tours legais e também para pescaria. Caso o barco esteja indisponível no dia, é possível arranjar a mesma programação com uma empresa terceira de confiança do hotel. Nós fomos até San Juan del Sur pelo mar e foi um passeio lindo. No meio do caminho, pescamos vários peixes que viraram sushi depois!

Barco Spirit of Mukul | foto: divulgação
Passeio de barco pelas praias da Nicarágua | foto: Lala Rebelo
Pôr do sol na Playa Guacalito, final do passeio de barco pelas praias da Nicarágua | foto: Lala Rebelo
  • Las Isletas de Granada

São 365 pequenas ilhas no Lago Nicarágua (também chamado de Cocibolca), formadas há mais de 20.000 anos por uma erupção vulcânica. Há ilhas com habitantes, com lojinhas, restaurantes, hotéis e outras privadas, que funcionam como casas de veraneio de famílias locais. O Mukul pode organizar um passeio de barco por essas ilhotas, sendo até possível fazer uma parada em uma das casas da família Pellas que fica ali. O nome da casa é “El Descanso”, então já dá para imaginar a paz do lugar, né?!

Casa da família Pellas entre as Isletas de Granada no Lago Nicarágua | foto: divulgação

Também é possível fazer degustação de rum Flor de Caña e de charutos no Mukul.

O Spa (já falei mil vezes dele) é surreal e é de fato algo que diferencia o Mukul de vários hotéis de luxo mundo afora. Não deixe de fazer algum tratamento (ou alguns) durante a sua estadia. Mas, se tem algo que “me pegou de jeito” mesmo, foi essa autenticidade nicaraguense. O fato de nada estar ali por acaso e tudo ter um porquê, uma história e um significado na cultura local me encantou de verdade. Claro que a Nicarágua é um país fantástico e muito seguro (o terceiro mais seguro da América Latina), que te convida a explorá-lo. Mas, se por algum motivo, você acabar não conseguindo sair do hotel, o próprio Mukul já te trará um pouco da sensação de estar nesse destino único. A Nicarágua é um país com personalidade forte, belezas naturais, riqueza cultural e pessoas gentis.

Palapa principal, sustentada por enormes troncos derrubados por um terremoto | foto: divulgação

Reserve aqui a sua estadia no Mukul. Diárias a partir de US$400.

::: Leia também o Guia Completo da Nicarágua, com todas as dicas, clicando aqui.

Comentários