Capitais do Reino Unido

Dicas de Edimburgo, Escócia

Se você não tem a Escócia em sua wish-list de destinos, acho bom mudar de ideia! 😀 Eu também não tinha o país nos meus planos e me surpreendi. Apesar de estar colado na Inglaterra, a Escócia é muuuito diferente, tem uma personalidade fortíssima, cheia de costumes e símbolos únicos. Ou vai dizer que, mesmo nunca tendo colocado seus pés em terras escocesas, ao dizer ESCÓCIA, você já logo não pensa em whisky, homens de saia xadrez (chamada KILT – aii de quem disser saia lá!!) e pessoas tocando aquela gaita enorme??! Ah… E também não podemos esquecer do Monstro do Lago Ness!!! Viu só como a Escócia está mais no nosso inconsciente do que imaginávamos?! Além de ser praticamente Harry Potter na vida real. 

Bom, deixando os símbolos (ou melhor, os estereótipos) de lado, Edimburgo, a capital da Escócia, é uma cidade muito lindinha e cheia de atrações bacanas, que merece ser visitada. Além de outros destinos do país que não pude conhecer dessa vez, claro. A Escócia tem lagos, castelos e fiordes belíssimos.

Achei surpreendentemente fácil visitar Edimburgo quando se está em Londres. É uma “esticadinha” que todo mundo deveria considerar!!! Tão perto e tão diferente. 

Escocês usando kilt e tocando gaita, na Royal Mile de Edimburgo
Escocês usando kilt e tocando gaita, na Royal Mile de Edimburgo

foto de capa: Calton Hill, Edinburgh – por Andy Smith para Flickr (CC). 


Sobre o lugar

Edimburgo é a capital e a segunda maior cidade da Escócia (a primeira é Glasgow), com aproximadamente 500 mil habitantes (bem pequenininha se comparada a Londres, que tem mais de 8 milhões). A Escócia é um país que faz parte do Reino Unido e ocupa a parte norte da ilha da Grã Bretanha. Edimburgo fica no litoral, já pertinho do Mar do Norte. Juntamente com o Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte), o país faz parte da União Européia (mas nunca adotou o Euro como moeda. Utiliza a Libra Esterlina). Sabemos que as coisas irão mudar, já que a maioria votou pela saída de UK do bloco (#brexit). Porém, a Escócia votou majoritariamente pela PERMANÊNCIA e ouve boatos de que o país vai querer independência. Vamos aguardar para ver. 

DICAS EDIMBURGO ESCOCIA O QUE FAZER VIAGEM ROTEIRO

<div class=”separa”><span> CLIMA – Quando ir? </span></div>

Edimburgo é uma cidade fria, beeem fria. Por isso recomendo que você fuja dos meses de inverno (novembro, dezembro, janeiro e fevereiro são os meses mais gelados). Evite ir nessa época não “só” pelo frio, mas porque os dias são extremamente curtos. Escurece SUPER cedo e sua viagem não renderá tanto quanto ir nos meses de verão. Eu fui em JULHO, ou seja, pleeeeno verão, e peguei frio (12ºC a noite; 15ºC-19ºC de dia), dias nublados e com chuva. Pode ser que eu tenha dado azar, pois quando estava indo embora, no trem, vi que abriu um solzão! O que achei ótimo é que os dias eram MUITOOOOO longos!!!! Meia-noite ainda tinha claridade no céu (veja foto abaixo, tirada às 00:00). Amei. 

Essa foto foi tirada a MEIA-NOITE! (julho) | Vista da janela do quarto no The Glasshouse Hotel, Edimburgo
Essa foto foi tirada a MEIA-NOITE! (julho) | Vista da janela do quarto no The Glasshouse Hotel, Edimburgo

EDIMBURGO-ESCOCIA-FUSO-MOEDA-VOLTAGEM-TOMADA

*De abril a outubro tem horário de verão (quando o Brasil não tem) e fica com 4 horas de diferença. De novembro a março, os escoceses voltam 1 hora no relógio e o Brasil (algumas partes) adianta 1 hora, ficando com apenas 2 horas de diferença. 

<div class=”separa”><span> ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL </span></div>

Eu nunca viajo sem seguro de saúde internacional. Sempre faço o meu pela REAL Seguros e recentemente precisei usar e fui super bem atendida. Clique aqui para fazer uma cotação. Após compra online, a apólice chega por email em minutos.

 

↑ Voltar ao começo do post


Como chegar / Onde ficar

<div class=”separa”><span> AVIÃO, TREM & CARRO </span></div>

  • Avião

Não há vôos diretos do Brasil para Edimburgo, mas é possível chegar voando com várias cias aéreas européias, fazendo apenas uma conexão (Air France, KLM, Turkish Airlines, British Airways etc.). Se você já estiver na Europa, muitas empresas low cost fazem o trecho por pouquíssimos euros, partindo de várias cidades (como EasyJet, Ryanair, Vueling, Transavia, FlyBe etc.). Pesquise aqui

Se estiver em Londres, há centenas de vôos diretos, partindo de vários aeroportos londrinos, para Edimburgo (EDI), com apenas 1h20 de duração. 

[Leia post sobre Londres aqui]

  • Trem 

Viajar de trem dentro da Europa é tudo de bom! Super rápido, confortável, prático, e muitas vezes, barato (mas nem sempre!). Como eu já estava em Londres, achei essa a melhor opção para viajar a Edimburgo, afinal, o trajeto corta tooooooda a Inglaterra, cruza a fronteira com a Escócia, até chegar. O trem vai a muuuuuitos quilômetros por hora mas mesmo assim, achei o caminho bonito. 

Viajei de VIRGIN TRAINS, que faz o trajeto de 650km em apenas 4 horas. (parti da estação King Cross em Londres, super central, mas há outros pontos de partida/chegada). Existem outros trens que fazem o mesmo trecho em muito mais horas. 

Comprei as passagens pelo site com apenas alguns dias de antecedência e, no dia, cheguei na estação 1 hora antes da partida para retirar os tickets de ida e de volta na máquina (assim, na volta, em Edimburgo, pude chegar na estação apenas meia hora antes). Dica: opte por marcar assento. Em alguns trechos mais urbanos, os trens enchem muito e há muita gente com passagem sem assento marcado. Acabam entrando no vagão cheio e ficam de pé. Se pretende dormir nas 4 horinhas de viagem, escolha um vagão silencioso (há opção na hora de comprar), mas não pode falar no celular. 

Trem da Virgin que faz a rota Londres-Edimburgo
Trem da Virgin que faz a rota Londres-Edimburgo
Interior do trem da Virgin
Interior do trem da Virgin
Pôr do sol no caminho de Londres a Edimburgo
Pôr do sol no caminho de Londres a Edimburgo

  • Carro 

A viagem de carro é muito mais longa (7h30), mas imagino que seja super prazerosa por causa das paisagens rurais. O interior do Reino Unido é lindo! E no caminho passa-se por várias cidades com nomes conhecidos, como Cambridge, Leeds, Newcastle…

Quando viajo, sempre alugo carro pela RentalCars (que compara preços de várias locadoras e realiza a reserva) e funciona muito bem. Recomendo! Pesquise aqui

<div class=”separa”><span> HOTÉIS </span></div>

O melhor lugar para se hospedar em Edimburgo é pertinho do centro histórico (Edinburgh Old Town) e da estação de trens (Edinburgh Waverley). Assim você estará pertinho das atrações turísticas, para explorar tudo a pé. Além de estar na área mais linda da cidade, rodeado de edifícios históricos imponentes. 

Recomendo:

Esse hotel é um charme! Meu encanto começou já pelo exterior: um mix de antigo com contemporâneo (uma igreja com 160 anos convertida em hotel em 2003 – apenas a fachada da igreja permaneceu, com seu estilo gótico. A quantidade de vidros utilizada na construção explica o nome do hotel, “a casa de vidro”). Um hotel boutique com 77 quartos muito espaçosos, decoração super aconchegante (a salinha da lareira – “The Snug Lounge” – foi minha parte preferida!), um jardim lindo no rooftop e um restaurante rodeado de verde, que é uma delícia. 

No quarto, tinha máquina de café Nespresso e mini bar (tudo cortesia, à parte dos alcóolicos), roupões e pantufas, roupa de cama e travesseiros que eram muuuuito confortáveis (fofinhos), secador forte, ferro e mesa de passar, cofre, muitas tomadas espalhadas e wi-fi grátis (e com sinal forte!). 

A localização é um dos pontos mais altos. Cheguei na estação de trem e fui a pé para o hotel, chegando em poucos minutos! Também está pertinho do centro histórico e de todas as suas atrações (castelo, palácio etc.). Exatamente atrás do The Glasshouse está o Calton Hill, um monte/parque que oferece as vistas mais lindas da cidade. O hotel está a 30 minutos (de taxi) do aeroporto. 

O Glasshouse faz parte da Autograph Collection, uma coleção que reúne hotéis de luxo independentes, charmosíssimos, que tenham algo único e surpreendente e sejam cheios de personalidade. Um ponto excelente é que, mesmo sendo hotéis independentes, a coleção participa do Marriott Rewards, um programa de fidelidade que permite aos clientes acumular pontos e resgatar noites gratuitas, vôos e outros benefícios. 

Reserve aqui

A fachada do The Glasshouse Hotel - adorei!!!
A fachada do The Glasshouse Hotel – adorei!!!
Roof Garden - The Glasshouse Hotel - Edimburgo
Roof Garden – The Glasshouse Hotel – Edimburgo
Rooftop do The Galsshouse Hotel em Edimburgo, com vista para o Calton Hill
Rooftop do The Galsshouse Hotel em Edimburgo, com vista para o Calton Hill
The Snug - lounge super aconchegante com lareira no The Glasshouse Hotel, Edimburgo
The Snug – lounge super aconchegante com lareira no The Glasshouse Hotel, Edimburgo
Decoração toda diferentona no interior do The Glasshouse Hotel, Edimburgo
Decoração toda diferentona no interior do The Glasshouse Hotel, Edimburgo
Recepção - The Glasshouse Hotel - Edimburgo
Recepção – The Glasshouse Hotel – Edimburgo
Meu quarto no The Glasshouse Hotel - Glenfarclas Suite
Meu quarto no The Glasshouse Hotel – Glenfarclas Suite
Cama King Size - The Glasshouse Hotel - Edimburgo
Cama King Size – The Glasshouse Hotel – Edimburgo
Glenfarclas Suite - The Glasshouse Hote Edimburgo
Glenfarclas Suite – The Glasshouse Hotel – Edimburgo
Banheiro do quarto... Super espaçoso! The Glasshouse Hotel Edimburgo
Banheiro do quarto… Super espaçoso! The Glasshouse Hotel Edimburgo
Chuveiro super moderno e banheira enorme - The Glasshouse Hotel Edimburgi
Chuveiro super moderno e banheira enorme – The Glasshouse Hotel Edimburgi
O café da manhã no restaurante The Observatory - The Glasshouse Hotel Edimburgo
O café da manhã no restaurante The Observatory – The Glasshouse Hotel – Edimburgo
Café da manhã do hotel - The Glasshouse - Edimburgo
Café da manhã – The Glasshouse Hotel – Edimburgo

↑ Voltar ao começo do post


Comes e Bebes

Não tive muito tempo para explorar a “cena gastronômica” de Edimburgo, mas tenho uns bons achados:

  • The Observatory
    Endereço: The Glasshouse Hotel – 2 Greenside Place (entrada também pela Leith Walk)

É o restaurante principal do hotel que me hospedei, The Glasshouse, aberto também para não-hóspedes de 17h a 21h30. O ambiente é aconchegante, todo de vidro, rodeado de verde e com vista do Calton Hill. O menu serve pratos da cozinha escocesa contemporânea. Reserve pelo site

Restaurante The Observatory, no The Glasshouse Hotel, Edimburgo | foto: divulgação
Restaurante The Observatory, no The Glasshouse Hotel, Edimburgo | foto: divulgação
Prato do The Observatory Restaurant, no The Glasshouse Hotel, Edimburgo | foto: divulgação
Prato do The Observatory Restaurant, no The Glasshouse Hotel, Edimburgo | foto: divulgação

Um bar/restaurante super descolado com uma extensa carta de whiskies, coquetéis criativos, cervejas importadas e vinhos. No menu de comida, servido de meio-dia às 21h (almoço e jantar), há burgers e outras comidas informais. O bar fica aberto das 11h a 1h da manhã. O ambiente é muito descontraído e, aos sábados a noite (a partir das 21h) tem DJ tocando. Reserve sua mesa escrevendo pelo site ou pelo telefone 0131 557 5830. Estava bem cheio no sábado!

The Newsroom Bar & Eatery - Edimburgo | foto: divulgação
The Newsroom Bar & Eatery – Edimburgo | foto: divulgação
Pratos do The Newsroom Bar & Eatery - Edimburgo | foto: divulgação
Pratos do The Newsroom Bar & Eatery – Edimburgo | foto: divulgação

Um restaurante pequenininho localizado no meio do jardim (o nome não é por acaso – é uma casa histórica no Royal Terrace Gardens, aos pés do Calton Hill). No menu, pratos que mudam a cada dia da semana, feitos apenas com ingredientes sazonais, de produtores locais. Veja o menu do dia postado no site diariamente. Reserve pelo Open Table

The Gardener's Cottage - restaurante em Edimburgo | foto: divulgação
The Gardener’s Cottage – restaurante em Edimburgo | foto: divulgação
Menu do dia no The Gardener's Cottage - Edimburgo | foto: divulgação
Menu do dia no The Gardener’s Cottage – Edimburgo | foto: divulgação
Prato do The Gardener's Cottage - Edimburgo | foto: divulgação
Prato do The Gardener’s Cottage – Edimburgo | foto: divulgação

Esse restaurante é uma boa opção para quem está buscando um local para almoçar no meio do dia de turismo, pois está na rua principal do centro antigo (The Royal Mile), pertinho do Castelo. O local tem decoração mais formal e serve pratos tradicionais da culinária escocesa. No verão, há um terraço para comer ao ar livre. Reserve pelo site

The Witchery by the Castle - restaurante tradicional em Edimburgo | foto: divulgação
The Witchery by the Castle – restaurante tradicional em Edimburgo | foto: divulgação
Prato típico no restaurante The Witchery by the Castle - Edimburgo | foto: divulgação
Prato típico no restaurante The Witchery by the Castle – Edimburgo | foto: divulgação

Para fechar a lista de sugestões, claro que não podia faltar um PUB, né?! O The Bow Bar tem cara e jeitão de puuuuub mesmo (muita cerveja e comida típica de pub britânico – mas claro que não pode faltar muuuuito whisky!) e fica no centro histórico, pertinho da rua principal e do Castelo. 

The Bow Bar - Edimburgo | foto: divulgação
The Bow Bar – Edimburgo | foto: divulgação
Interior do The Bow Bar - Edimburgo | foto: divulgação
Interior do The Bow Bar – Edimburgo | foto: divulgação

Para quem quiser provar um prato bem escocês, peça um “HAGGIS”, que é um bolo (ou melhor, um “salsichão” rs) contendo carne de coração, pulmão e fígado de carneiro, normalmente servido com purê de batatas. Esse eu deixei passar. Por ser um país frio, a culinária da Escócia é muito baseada em carnes e gordura. Come-se tanta salsicha que o alimento está presente até mesmo no café da manhã tradicional (inclusive uma salsicha feita com sangue de porco, chamada black pudding). Um prato que topei provar e gostei foi a Scotch Pie, tortinha recheada com carne de carneiro moída. Mas quer saber?! O melhor da culinária escocesa é de fato o whisky e as cervejas. Até mesmo para os que não curtem muito bebidas alcóolicas fortes e com sabor marcante. Lá você vai ter que tomar e ainda trazer uma garrafinha para casa! 😀

↑ Voltar ao começo do post


O que fazer / Roteiros

Edimburgo é uma cidade pequena e as atrações turísticas se concentram na Old Town, sendo possível explorar tudo em 2 dias inteiros

O Edinburgh Castle é a principal atração da cidade e não pode ficar de fora do seu roteiro. Indico, inclusive, que seja a primeira coisa a visitar. Trata-se de uma fortaleza super imponente, construída sobre um rochedo. Dentro do castelo, há muitas coisas para visitar, como as jóias da coroa escocesa, as prisões de guerra, canhões do século 15, a Capela de Santa Margarida e o Grande Hall. Todos os dias (exceto domingos) acontece às 13h um disparo de canhão. A entrada custa £16.50 (adultos) + £3.50 se quiser o audio guide, e pode ser comprada lá mesmo. Mas recomendo que compre antes pelo site para evitar a fila. 

Entrando no Castelo de Edimburgo
Entrando no Castelo de Edimburgo
Guardas do Castelo de Edimburgo
Guardas do Castelo de Edimburgo
Canhões do Castelo de Edimburgo e a vista da cidade
Canhões do Castelo de Edimburgo e a vista da cidade

castelo de edimburgo

A rua principal, The Royal Mile, vista do Castelo de Edimburgo
A rua principal, The Royal Mile, vista do Castelo de Edimburgo

castelo de edimburgo

castelo de edimburgo

A Royal Mile é o apelido dado a uma junção de ruas que formam a via principal do centro histórico de Edimburgo, que liga o Castelo ao Palácio de Holyrood (um em cada extremo da rua). Está rodeada de edifícios históricos, atrações turísticas, restaurantes e lojas de souvenirs. É um passeio super agradável.  

The Royal Mile, Edimburgo
The Royal Mile, Edimburgo
Escocês tocando gaita na Royal Mile
Escocês tocando gaita na Royal Mile
Artistas de rua na Royal Mile, em Edimburgo
Artistas de rua na Royal Mile, em Edimburgo
Royal Mile - a principal via do centro histórico de Edimburgo
Royal Mile – a principal via do centro histórico de Edimburgo

Uma das coisas que mais gostei em Edimburgo!! A entrada ao complexo custa £12.50 (compre o ingresso na hora) e te dá acesso a 6 andares muuuuito divertidos, com atrações de ilusões de ótica, efeitos especiais e pegadinhas para a mente. Achei super original! No último andar há a Camera Obscura (contei sobre isso no post de Havana, pois também há uma dessas na capital cubana), um equipamento que funciona por meio de duas lentes e um espelho em um periscópio. A imagem é projetada (ao vivo / em tempo real) em uma plataforma côncava em uma sala escura. Um guia vai girando o equipamento e explicando a cidade em 360 graus. Além disso, a vista de Edimburgo lá de cima é bem legal!

Muitos espelhos!! Difícil não trombar!!! World of Illusions - Edimburgo
Muitos espelhos!! Difícil não trombar!!! World of Illusions – Edimburgo

World of Illusions - Edimburgo

A ponte ficava parada e as luzes rodavam... te desafio a andar reto sem bambear e sem achar que a ponte está mexendo!!!
A ponte ficava parada e as luzes rodavam… te desafio a andar reto sem bambear e sem achar que a ponte está mexendo!!!
Ele não é tão maior que ela!! | World of Illusions - Edimburgo
Ele não é tão maior que ela!! | World of Illusions – Edimburgo

World of Illusions - Edimburgo

Vista do rooftop do prédio da Camera Obscura & World of Illusions
Vista do rooftop do prédio da Camera Obscura & World of Illusions

camera obscura edinburgh

Camera Obscura - Edimburgo: com luzes acesas, antes da projeção começar
Camera Obscura – Edimburgo: com luzes acesas, antes da projeção começar
Projetando ao vivo a cidade de Edimburgo | Camera Obscura
Projetando ao vivo a cidade de Edimburgo | Camera Obscura

Tá aí outra atração que me surpreendeu… Parece até brinquedo do Magic Kingdom (um pouquinho menos infantil por causa do whisky, claro! hehehe). Fiz o Silver Tour, que é o mais básico e custa £14.50 por pessoa, e consiste em um trenzinho (na verdade, um barrilzinho) que vai passando por todo o processo de produção do whisky, com explicações no audio e projeções. Muito bem feito! Depois, entramos em uma sala de aula e aprendemos sobre as quatro regiões produtoras de whisky escocês (Lowland, Highland, Speyside e Islay) e os aromas que marcam as bebidas provenientes de cada uma delas. Escolhemos um dos quatro “tipos” para degustar e o copinho de vidro fica de presente. Ah, e no tour, também visitamos a maior coleção de whisky escocês do MUNDO, que aliás, pertencia a um brasileiro (Claive Vidiz) que a vendeu para a Diageo e hoje a coleção se encontra na Escócia (“o bom filho à casa retorna”, disse o ex-dono da coleção, se referindo às suas garrafas escocesas). 

Slàinte Mhath!!!
Pronuncia-se “Slange-va” – what?!?! Onde leram isso?! kkkk
Que significa “saúde!” / “cheers!” no idioma Gaélico Escocês. 

E começa a Scotch Whisky Experience!
E começa a Scotch Whisky Experience!
Essa é a projeção que nos guia durante o processo de produção | Scotch Whisky Experience - Edimburgo
Essa é a projeção que nos guia durante o processo de produção | Scotch Whisky Experience – Edimburgo
Scotch Whisky Experience Edimburgo | foto: visitscotland.com
Scotch Whisky Experience Edimburgo | foto: visitscotland.com
A "sala de aula" onde aprendemos sobre a bebida | Scotch Whisky Experience - Edimburgo
A “sala de aula” onde aprendemos sobre a bebida | Scotch Whisky Experience – Edimburgo
A maior coleção de whisky escocês do mundo
A maior coleção de whisky escocês do mundo
O antigo dono da coleção, um brasileiro
O antigo dono da coleção, um brasileiro

Essa igreja foi fundada em 1130, mas o edifício que vemos hoje (que fica na Royal Mile) é datado de 1833 (e o seu interior, de 1883). Tem um formato diferente, já que a torre fica no MEIO da igreja, e não na extremidade. Já teve denominação Católica Romana e hoje faz parte da Igreja da Escócia (Church of Scotland / The Scots Kirk). A igreja é considerada o berço do Presbiterianismo

St. Giles' Cathedral, em Edimburgo
St. Giles’ Cathedral, em Edimburgo
Interior da St. Giles' Cathedral, em Edimburgo
Interior da St. Giles’ Cathedral, em Edimburgo

 

St. Giles' Cathedral edinburgh

O Palácio de Holyroodhouse (ou apenas Holyrood) é a residência oficial da monarquia britânica na Escócia. Fica em uma das extremidades da Royal Mile, oposto ao Castelo de Edimburgo. O local é residência de reis e rainhas escoceses desde o Século 16. A Rainha Elizabeth costuma passar uma semana do início do verão no palácio, todos os anos. Quando a Rainha não está, é possível visitar o palácio por dentro, seus salões e aposentos. 

Palácio de Holyroodhouse, em Edimburgo | foto: stu smith para Flickr (CC)
Palácio de Holyroodhouse, em Edimburgo | foto: stu smith para Flickr (CC)

Pertinho da Royal Mile e do Castelo temos o Grassmarket, uma região super viva, com edifícios históricos e cheia de lojas, bares, restaurantes e gente nas ruas. Aos sábados, de 10h da manhã às 5h da tarde, acontece um mercado ao ar livre, com alimentos (frutas, pescados etc.), comida pronta (street food) e artesanato. 

Grassmarket, Edimburgo | foto: Nikita Starikov para Flickr (CC)
Grassmarket, Edimburgo | foto: Nikita Starikov para Flickr (CC)

Um parque localizado em uma montanha, bem no centro de Edimburgo. Lá em cima há monumentos famosos, como o Monumento Nacional, mas o mais interessante é, de fato, a vista panorâmica que se tem da cidade. No pôr do sol é o horário mais lindo para ir. 

Vista de Edimburgo do Calton Hill em um dia de sel | foto: Jeremy Nelson para Flickr (CC)
Vista de Edimburgo do Calton Hill em um dia de sel | foto: Jeremy Nelson para Flickr (CC)
Calton Hill - Edimburgo
Calton Hill – Edimburgo

No mapa abaixo vocês encontrarão tudo o que foi citado aqui no post:

<iframe src=”https://www.google.com/maps/d/embed?mid=1Vs6nUrHyoCKJ86MGHZb4QPcuafI” width=”680″ height=”480″></iframe>

Espero que também tenham gostado de Edimburgo! 🙂
Beijos, Lala

Siga-me no instagram @lalarebelo

[Leia também o post com todas as dicas de Londres – clique aqui]

roteiros-personalizados-lala-rebelo-viagem

↑ Voltar ao começo do post

Comentários